Muitos fatores estão envolvidos no bom funcionamento de uma operação, um deles é a manutenção das máquinas. Em uma organização, esta deve ser uma prática constante, pois garante a durabilidade e segurança dos equipamentos, reduz custos de produção e melhora a qualidade dos procedimentos. Tais políticas de manutenção previnem que ocorram falhas e quebras nos equipamentos, evitando reclamações e perdas de clientes, que podem vir a não serão atendidos no prazo especificado. Além disso, estar com a manutenção em dia, evita que receitas deixem de ser atendidas, evita gastos com custos de reparos e previne aumento nos índices de acidentes de trabalho.

Como realizar a manutenção das máquinas

 

Algumas atitudes podem ser essenciais para que a manutenção seja realizada da forma correta, incluindo os cuidados regulares nas instalações, fator relevante para contribuir com a vida útil das máquinas utilizadas em obras. A limpeza dos canteiros de obras como um todo é parte importante do processo de manutenção do maquinário. Materiais como areia, cascalho e outros podem corroer peças e causar acidentes. Outros aspectos que algumas vezes não recebem a atenção devida, também são fundamentais para o funcionamento correto dos equipamentos. A lubrificação é decisiva para prolongar o tempo de vida das máquinas e deve ser adotada de acordo com a frequência de uso e condição onde cada máquina está inserida. O ideal é seguir as orientações do manual de cada máquina e a frequência que é indicada no mesmo.

Um revestimento de graxa grossa, por exemplo, também pode servir como uma camada de proteção para o equipamento, armazenando a poeira e outros detritos antes de atingir componentes cruciais. Em contrapartida, o excesso de lubrificação também podem causar grandes problemas nas vedações e no motor. Desta forma, é importante certificar-se que todo o processo seja feito por profissionais capacitados.

Quais são os tipos de manutenção de máquinas


Existem quatro tipos de manutenção em máquinas normalmente adotadas no mercado. A primeira delas é a manutenção corretiva, menos aconselhável, pois normalmente acontece depois que já ocorreu uma falha ou acidente. Sendo assim, torna-se
onerosa para a empresa, que para corrigir a falha, deve interromper os trabalhos realizados pela máquina com problemas, podendo afetar a produção executada pelo setor.  

Já a manutenção preventiva é realizada através de um cronograma estabelecido pela empresa, no qual prevê a realização de atividades, como troca de peças e óleo, engraxe, limpeza e reparação de elementos que podem causar algum dano. Esta manutenção contribui para a redução de custos em reparos e aumenta o índice de segurança do trabalhador durante a operação das máquinas.

Outro tipo é a manutenção preditiva, que visa realizar ajustes na máquina ou equipamento apenas quando for necessário, ou seja, quando o mau funcionamento é detectado. Esse método se baseia em dados que fornecem as condições reais de cada equipamento, como o seu desgaste e processo de degradação.

Por último, a manutenção produtiva total (TPM), um sistema complexo de gestão de equipamentos que além da manutenção em si, se preocupa com a melhoria das pessoas que são as responsáveis pela qualidade do produto ou serviço que será manuseado.

Como vimos, independente do tipo de manutenção que irá utilizar em suas máquinas, é essencial que ela aconteça regularmente para preservar a integridade de seus equipamentos e garantir que não aconteça perda de produtividade em seus negócios.

Surgiu alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Faça um comentário e participe!